Vira e mexe vejo alguém se referindo a São Pedro como sendo bipolar quando o tempo muda bruscamente.  Aqui em São Paulo, até a marginal Tietê já foi classificada como bipolar. Inclusive pessoas que acordam com um humor e dormem com outro também são chamadas de “bipolar”. Meu colega, o psiquiatra Rafael T. de Souza, foi muito feliz ao escrever um texto bem acessível sobre Transtorno Bipolar, no qual ele explica, dentre outras coisas, que “estar triste de manhã e eufórico à noite não significa que alguém tenha transtorno bipolar”. Confere o texto dele clicando aqui.

Mas, você sabia que usar nomes de transtornos mentais no nosso dia a dia, por exemplo, “acordei com depressão hoje”, “isso é coisa de border heim!”, “esse meu celular é bipolar” contribui para o estigma que milhões de pessoas enfrentam com sua real condição de portador de um transtorno mental? Banalizar os transtornos mentais não é legal para a sociedade como um todo e todos sofrem com isso. Lembrando que em 2020 (está quase chegando!) a depressão será a maior causa de incapacitação dentre TODAS as doenças.

Por isso, traduzi um texto muito importante da International Bipolar Foundation, publicado ano passado, chamado “Pare de dizer bipolar quando significa imprevisível ou quebrado. Veja o texto original clicando aqui.

 

Quando há uma mudança de temperatura, não é incomum que as pessoas se queixem do tempo “bipolar”. Quando a tecnologia não está funcionando corretamente ou quando algo é imprevisível, uma pessoa frustrada e desinformada pode chamá-la de bipolar.

Usar bipolar como um adjetivo para descrever um objeto inanimado com o qual a pessoa está infeliz é comum, infelizmente. Aqui estão 15 objetos que os membros da nossa audiência ouviram que alguém chamasse de “bipolar”:

1. Tempo errático

2. Carro que não dá a ignição

3. Temperatura inconsistente da água do chuveiro

4. Luzes piscando

5. Caneta que não escreve

6. Fotocopiadora que não funciona

7. Celular que não possui sinal

8. Baterias que perderam sua carga rapidamente

9. Máquina de lavar roupa que desliga o meio do ciclo

10. Fornos que não mantém a temperatura fixa

11. Música quando um artista varia de pop para sério

12. Penteado que muda constantemente

13. Cronograma de vôos que mudou inesperadamente

O transtorno bipolar é uma condição médica séria que afeta cerca de 60 milhões de pessoas em todo o mundo. Pessoas com transtorno bipolar experimentam um padrão de episódios depressivos e maníacos ou hipomaníacos. Os episódios duram dias ou semanas e envolvem uma lista de sintomas que afetam o humor de uma pessoa, os níveis de energia e a capacidade de funcionar. Não é o mesmo que ser temperamental ou imprevisível.

Quando você usa a palavra bipolar para descrever algo quebrado, você está sugerindo que as pessoas com transtorno bipolar estão quebradas. Alguém com transtorno bipolar ou outra doença mental que o ouve pode sentir vergonha e pode ser menos provável estar aberto para enfrentar a situação. Este silêncio e vergonha impedem que as pessoas busquem ajuda quando precisam disso.

Bipolar literalmente significa “ter dois pólos”. Alguns argumentam que é por isso que eles usam isso para descrever objetos que têm dois extremos. Embora seja semanticamente correto usá-lo como um adjetivo desta forma, ele ainda pode ser prejudicial. Sim, usamos qualidades humanas para descrever objetos inanimados quando fazemos certos colocações, mas devemos traçar a linha em termos de diagnóstico. Da mesma forma que você não usaria a palavra retardada para descrever coisas que são lentas.

Faça um esforço para parar de usar a palavra bipolar desta forma. Há muitas outras palavras para escolher que expressarão com mais precisão o que você quer dizer:

1. Imprevisível

2. Não confiável

3. Inconsistente

4. Frustrante

5. Ridículo

6. Temperamental

7. Sensível

8. Irritante

9. Difícil

10. Precisa ser recalibrado

11. Irreverente

12. Flutuante

13. Oscilante

14. Errático

15. Em todo o lugar

 

Comments are closed.